Um dos principais resultados do projeto “Portugal ao Espelho” prende-se com a disponibilização de materiais de formação acerca da cultura portuguesa contemporânea.

Neste contexto, disponibilizam-se os materiais de formação elaborados no âmbito do projeto. Cada uma das “ferramentas” é composta por um texto que desenvolve uma determinada temática e que propõe atividades a realizar com os formandos, assim como a leitura de outras obras para aprofundamento dessas temáticas. Além disso, algumas temáticas são ainda acompanhadas por materiais audiovisuais que possibilitarão uma abordagem primeira e sucinta às temáticas em questão.

1. A identidade nacional
© (2016) Augusto Santos Silva
A presente ficha discute, de forma breve, e num primeiro momento, o conceito de identidade, situando por relação a ele a questão da identidade nacional. Num segundo momento, o autor reflete sobre as formas de abordar a identidade nacional portuguesa, revelando os discursos e investigações existentes. Finalmente, num terceiro momento, o autor explica o porquê olhar para a identidade nacional portuguesa através da literatura, cinema e a música popular.
Texto 1.1: A questão da identidade nacional: história e representação
Vídeo 1.1: Identidade nacional: história e representação
Texto 1.2: Três formas de olhar a identidade nacional
Vídeo 1.2: Três formas de olhar a identidade nacional
Vídeo 1.3: Porquê olhar para a literatura, cinema e a música popular?

2. Os festivais de música
© (2016) Paula Guerra
Nesta ficha de formação, a autora faz uma breve apresentação e análise dos festivais de música em Portugal: como surgiram em Portugal, qual a sua importância e impacto nos mais diversos níveis – sociais, económicos, culturais, identitários… A ficha é acompanhada por um vídeo que sintetiza o ambiente vivido nalguns dos festivais mais frequentados em Portugal e que pode ser encontrado aqui.
Texto: Lembranças do último verão. Festivais de música, ritualizações e identidades na contemporaneidade portuguesa
Vídeo: Festivais de música, ritualizações e identidades na contemporaneidade portuguesa

3. A canção de protesto
© (2016) Paula Guerra
Nesta ficha de formação, Paula Guerra apresenta uma abordagem das (novas) canções de protesto de duas das mais emblemáticas bandas de pop rock português desde os anos de 1980 até à atualidade: Mão Morta e Xutos & Pontapés, tentando demonstrar de que forma as manifestações artísticas constituem elas próprias elementos integrantes de uma identidade coletiva resultante e resultado de um processo significativo de autorreflexividade.
Texto: Um espelho é mais do que um espelho: as novas formas e linguagens da canção que protesta na contemporaneidade portuguesa
Vídeo: As novas formas e linguagens da canção que protesta na contemporaneidade portuguesa

4. A produção e receção da música contestatária
© (2016) Rui Pedro Fonseca
Esta ficha apresenta uma reflexão em torno da produção e receção da música contestatária, procurando revelar os seus processos e características principais, assim como de que forma a música contestatária se constitui enquanto narrativa de identidade portuguesa.
Texto: A música contestatária: da construção autoral às práticas de receção

5. Narrativas pós-coloniais
© (2016) Sónia Passos
A ficha “Contando o Estado-Nação: narrativas pós-coloniais” parte da História de Portugal colonial do século XX pela voz literária de duas escritoras, para problematizar certezas e promover novos problemas, capazes de permitir compreender as reconfigurações identitárias nas suas diferentes escalas.
Texto: Contando o Estado-Nação: narrativas pós-coloniais

6. Um duplo espelho: Portugal e cinema de animação
© (2017) Helena Santos
A presente ficha propõe uma viagem em forma de roteiro pelo cinema de animação português do último quarto de século. Através de um conjunto de obras e de autores, nas suas condições sócio-históricas de emergência e desenvolvimento no Portugal contemporâneo, o cinema de animação tem apresentado um desenvolvimento consistente, enquanto expressão artística e social de fronteira entre o país, a Europa e o mundo.
Texto: Um duplo espelho: Portugal e cinema de animação

7. Epopeia do nosso (des)encantamento: cartografia de um Portugal contemporâneo
© (2017) Sónia Passos
Nesta ficha, a autora parte da obra Uma Viagem à Índia: melancolia contemporânea (um itinerário), de Gonçalo M. Tavares, para problematizar a condição humana no tempo presente, considerando para o efeito alguns eixos que o texto literário parece apontar como elementos chave para uma equação de futuro: as dimensões do indivíduo e do coletivo; a redefinição de espaço e tempo, numa Europa global; a religião como mediadora do sujeito com o universo nas suas múltiplas relações e o desrespeito pela natureza fustigada pela voracidade da imposição da técnica como superação do humano, e, enfim, o Oriente, designadamente a Índia, como lugar de um imaginário, que confronta o sujeito sonhador consigo próprio, exigindo-lhe a responsabilidade da sua história.
Texto: Epopeia do nosso (des)encantamento: cartografia de um Portugal contemporâneo